Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ital.sp.gov.br/jspui/handle/123456789/321
Título: Armazenamento do crambe em diferentes embalagens e ambientes: Parte I - Qualidade fisiológica
Autor(es): Bessa, Jaqueline F. V.; et. al.







Palavras-chave: Crambe abyssinica
Ambiente refrigerado
Ambiente natural
Data do documento: 2015
Citação: Rev. Bras. de Eng. Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v.19, n.3, p. 224-230, mar/2015.
Resumo: Objetivou-se, neste trabalho, avaliar a qualidade fisiológica das sementes de crambe em diferentes condições de armazenamento, durante nove meses. O crambe com teor de água de 4,63% base úmida foi acondicionado nas embalagens laminada, polietileno tereftalato (PET) e polietileno de alta densidade (PEAD), as quais foram armazenadas nos ambientes: refrigerado, a 10 ± 1,19 °C e 34,84 ± 4,09% UR e natural, a 24,81 ± 1,82 °C e 54,93 ± 12,77% UR. O delineamento utilizado foi o inteiramente casualizado em esquema fatorial triplo (3 x 2 x 4) com três repetições. Os dados foram analisados por meio de análise de variância e regressão. O ambiente natural e a embalagem PET são os que melhor se apresentam para manter a qualidade fisiológica das sementes de crambe por até seis meses de armazenamento. O ambiente natural preserva o vigor de sementes e promove superação da dormência primária logo no terceiro mês de armazenamento. O ambiente refrigerado a 10 °C não é recomendado para o armazenamento das sementes de crambe.
URI: http://repositorio.ital.sp.gov.br/jspui/handle/123456789/321
Outros identificadores: 
Aparece nas coleções:Artigos cientificos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Armazenamento_do_crambe....pdf582.38 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.